Tributo aos Educadores de Infância

Um Educador de Infância não é engenheiro, arquiteto, músico ou escultor. Não é médico nem bombeiro… E por muito que às vezes pareça, também não é enfermeiro. Um Educador é um Educador. 

É aquele que consegue amar 25 crianças com um amor sem medida… Um amor que todos os anos vai e que todos os anos vem renovado sob a forma de novas mãos curiosas… Olhares atentos… Sorrisos contagiantes... pernas saltitantes!

É aquele que lê histórias. Que as sente e saboreia. Que as vive como uma epopeia! Que toma no seu colo a vida no seu estado mais puro, abraçando a vida nos seus braços. E mesmo que os braços teimem em ter cada vez menos força, por força do tempo, abraça sempre. Todos os dias!

Pelas histórias pinta a vida de um modo singelo, em tons de azul e amarelo. Verde e vermelho. É aquele que em cada palavra tem um bom conselho.

Ele dá a palavra e fomenta; dá voz e escuta... não desiste e vai a luta. É aquele que promove. O que dá asas e se comove: quando faz voar e permite sonhar… E que todos os dias, a cada manhã, quer voltar!

Sabe dizer não, com a mente e com o coração. Mas também diz sim. É de certezas. Não se fica pelo nim.

Para uma criança um educador não tem idade. Mas os anos passam. E apesar da maioridade é aquele que brinca com as crianças e come bolachas de cartão, rebola pelo chão... 

Sim, um Educador de Infância brinca só por brincar. É espontâneo e natural. É um ser livre… Consegue ser especial. Mas para poder brincar muito tem de trabalhar. Mas disso nem todos se vão lembrar. Para tantos, o educador é apenas aquele que toma conta. O Educador cuida, sim, é um cuidador. Mas a função de um educador não é apenas cuidar. Educar e Cuidar estão sempre de mãos dadas. Porque quem cuida e educa... ama.

É aquele que diariamente lida com o paradigma da preparação… E fundamenta… E sustenta… E investiga… Ele procura respostas antes que cheguem as perguntas. E lida com esta pressão… e por muito que a tente questionar, tantas vezes é em vão. E desiste muitas vezes. Não de si… Não dos 25… Não do amor que tem em educar… Mas do resto. Porque não vale a pena… a sua paciência já é pequena e a sua alma é tão grande! Ele sabe que a função da educação de infância não é a de preparação para a escolaridade. 

É o que vive e faz viver. Aquele que valoriza o ser, o estar, o fazer. Não se preocupa em ensinar porque sabe… Ele sabe que a vida só é aprendida quando é vivida. E ele deixa viver. Porque ele sabe que brincar é vida! Ele sabe que as crianças vão aprender sem estar diariamente preocupado com aquilo que vai ensinar.

É aquele que é pela liberdade… De emoções… De opiniões… De decisões… É pela vida democrática. Pela cidadania. Pela vida com cheiro a maresia. Pela vida, a verdadeira filosofia. É aquele que não educa pequenos adultos. É o que educa crianças… crianças com direitos… deveres… ideias… convicções… razões… Independentemente dos contextos e situações. É pela criança cidadã desde que ela chega pela manhã.

É aquele que educa geração atrás de geração. E por mais anos que passem, tem sempre dificuldades em cortar o cordão.

É aquele que tem uma capacidade inata para resolver problemas. Não se tratam, claramente, dos grandes problemas mundiais, mas muitas são as vezes em que 4 paredes testemunham verdadeiros dilemas existenciais.

É aquele que transforma as lágrimas em sorrisos, o que cura a dor com palavras de amor. 

É aquele que sabe quem é e o que defende. Mas que se transforma e se adapta. Sabe aquilo que pode ser. E por muito que sonhe… faz acontecer!

Ele vê além do olhar.
Ele ouve para lá da voz das crianças.
Ele sente o que elas não dizem.


O Educador de Infância nem sempre tem dias bons. Mas nesses dias há 25 sorrisos constantes e 25 gargalhadas repentinas que transformam o seu dia... e o fazem sorrir.

Ser educador não é apenas isto.
Por vezes… é bem melhor do que isto!

Um Educador de Infância,
Fábio Gonçalves



Comentários

  1. Sem dúvida, a descrição perfeita!!!! Obrigada
    Educadora Mafalda Sousa

    ResponderEliminar
  2. Excelente texto!!!
    Obrigada
    Educadora Cláudia

    ResponderEliminar
  3. Somos tão nós!🤩 Educadores de alma & 💗 Grata por este tributo a nós.

    ResponderEliminar
  4. Bem...miúdo, tens veia e tens queda para a educação de infância! Vejo que vais dar um PAI fenomenal!Força!

    ResponderEliminar
  5. Que maravilha! Adorei! Parabéns!
    Também sou Educadora... Neste momento estou com saudades de Ser Educadora.

    ResponderEliminar
  6. Obrigado Fábio! Lindo tributo e tão verdadeiro!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderEliminar
  7. Obrigado eu pelas palavras.
    Um bom regresso!

    ResponderEliminar
  8. Educação/ educadores com amor às crianças e à sua escolha de vida! Lindo tributo a todos nós! ��

    ResponderEliminar
  9. Educação/ educadores com amor às crianças e à sua escolha de vida! Lindo tributo a todos nós! ��

    ResponderEliminar
  10. Preciosas palavras que tão bem descrevem o que sentimos e pensamos, enquanto educadores. Bem hajas m Fábio!

    ResponderEliminar
  11. E mesmo velhinha como eu, continua a ter os sonhos na alma e a desenhar arco íris entre os pingos da chuva.
    E a acreditar que todos pudemos ter corações de criança.

    ResponderEliminar
  12. E mesmo velhinha como eu, continua a ter os sonhos na alma e a desenhar arco íris entre os pingos da chuva.
    E a acreditar que todos pudemos ter corações de criança.
    Quica Melo

    ResponderEliminar
  13. OBRIGADA. Estou com saudades de voltar a ser Educadora

    ResponderEliminar
  14. Olá Fábio. Sempre a rolar. Beijinhos. Noémia

    ResponderEliminar

Enviar um comentário

Mensagens populares deste blogue

PORQUÊ QUE AINDA HÁ CRIANÇAS DE 1, 2 ou 3 ANOS A PINTAR DESENHOS?

Carta aberta de uma criança a um Educador que faz a diferença

Um dia vamos mudar a Educação de Infância...