A Educação de Infância não se resume à comemoração de datas!

  

A Educação de Infância não se resume à comemoração de datas.

O regresso às instituições educativas, sejam creches, jardins-de-infância ou escolas, não aconteceram para que as crianças tivessem tempo para celebrar as múltiplas festividades do calendário.

A vida numa creche ou jardim-de-infância vai muito além disto.

 

Depois de um confinamento, em que as crianças estiveram privadas de socializar, de interagir, de crescer e viver em companhia, há que cuidar das crianças.

Neste momento há muitas crianças inseguras, emocionalmente instáveis.

Enquanto educadores e professores, cabe-nos pensar na saúde mental das crianças e no que elas realmente precisam neste momento.

Os Planos Anuais de Atividades podem esperar. A transformação da sala num atelier de construção em série, pode esperar. Tudo pode esperar, menos as verdadeiras necessidades das crianças.

Tudo pode esperar, menos o nosso olhar atento.

 

E se é para celebrar a primavera, que não seja a pintar e cortar flores em 50 tipos de papel.

Se é para celebrar a primavera, então que as crianças a possam sentir: pelo olhar, pelos cheiros, pelas cores, pelo toque.

 

O tempo das crianças não é o tempo do educador.

Este é um tempo para parar, escutar e cuidar.

É um tempo para voltar, mas com calma, pensando sempre nas crianças.

Em todas e em cada uma!

  

Um Educador de Infância,

Fábio Gonçalves

Comentários

Mensagens populares deste blogue

PORQUÊ QUE AINDA HÁ CRIANÇAS DE 1, 2 ou 3 ANOS A PINTAR DESENHOS?

Carta aberta de uma criança a um Educador que faz a diferença

Um dia vamos mudar a Educação de Infância...